A importância do fonoaudiólogo no combate ao COVID-19





Orientações aos fonoaudiólogos atuantes no ambiente hospitalar e Unidades de Terapia Intensiva quanto aos cuidados durante a pandemia de COVID-19


A principal indicação de atendimento fonoaudiológico hospitalar tem relação com a necessidade de manejo da disfagia e redução do risco de broncoaspiração, sendo assim diante da pandemia de Covid -19 e hospitalização principalmente de indivíduos idosos e com comorbidades, algumas sugestões são necessárias aos fonoaudiólogos para realização de uma boa prática;

A- Para atendimento a pacientes NÃO suspeitos a rotina pode estar mantida, utilizando as medidas de precaução padrão adequadas , conforme o tipo de assistência a ser prestada.

Utilizar máscara cirúrgica, óculos de proteção e gorro. Garantir todos os passos de higienização adequada das mãos e desinfecção adequada de instrumentos utilizados;

B- Para atendimento a casos SUSPEITOS OU CONFIRMADOS :

- para quaisquer casos suspeitos ou confirmados , deve ser analisada a pertinência da avaliação fonoaudiológica diante do quadro do paciente, privilegiando medidas preventivas de cuidado e de menor risco;

- Não é recomendado o acompanhamento de pacientes intubados sob nenhuma hipótese;

- Em pacientes graves submetidos a intubação orotraqueal, para a reintrodução da alimentação oral, a avaliação e acompanhamento fonoaudiológico dar-se-ão após a extubação, conforme quadro do paciente;

- Em caso de avaliação e acompanhamento: utilizar impreterivelmente equipamentos de proteção individual adequados com todas as medidas de precaução padrão para paramentação e desparamentação: roupa privativa da unidade, capote descartável, luvas, gorro, óculos de proteção e máscara N95, associados ao cuidado da lavagem das mãos conforme instrução de todos os órgão normativos;

- Evitar a inspeção e manuseio da cavidade oral e língua, considerando o grande potencial de disseminação do vírus; Sugere-se que o protocolo de higiene oral seja orientado pelas normativas da odontologia e realizada pela equipe de enfermagem conforme critérios e orientações estabelecidas pelos órgãos próprios.

- Em caso de uso de espessantes e alimentos para avaliação, descartar sobras e não reutilizar em hipótese alguma ;

- Usar utensílios descartáveis ;

- Evitar ausculta cervical considerando o potencial de sobrevivência do vírus em superfícies ; em caso de necessidade utilizar apenas o instrumento do paciente , com atenção à higienização e desinfecção da oliva;

-Em caso de pacientes traqueostomizados, sugere-se não realizar quaisquer procedimentos que possa produzir aerossóis.

-NÃO é recomendado desinsuflar cuff, estimular a tosse, uso de dispositivos respiratórios ou adaptação de válvula de fala e deglutição durante o curso da doença.

- Iniciar treinamento de deflação do cuff, adaptação de válvula de fala e processo de decanulação APÓS curso da doença com painel viral negativo.

- o procedimento de aspiração endotraqueal deve ser cuidadoso e idealmente com circuito fechado de aspiração;

- Sugere-se que a assistência seja prestada preferencialmente por um profissional exclusivamente, mas na impossibilidade por dificuldade de pessoal, sugere-se que os pacientes suspeitos ou confirmados sejam os últimos atendidos no plantão. Fonoaudiólogos que compõe o grupo de risco ( asmáticos, hipertensos, diabéticos, idosos e gestantes) não devem prestar assistência a esses pacientes ;

-para exames como a videofluroscopia da deglutição assim como para a videoendoscopia da deglutição, sugere-se que seja realizado apenas após painel viral negativo.

- para quaisquer casos de dúvidas recomenda-se a discussão com a equipe de CCIH do serviço para orientação da melhor pratica a ser empregada.

Por: Christiane Albuquerque

Fonoaudióloga - Comitê de Fonoaudiologia BRASPEN

Referências:

1. Velavan TP, Meyer CG. The COVID‐19 epidemic. Tropical Medicine & International Health. 2020;25(3):278-80. https://doi.org/10.1111/tmi.13383


2. Jin YH, Cai L, Cheng ZS, Cheng H, Deng T, Fan YP, et al. A rapid advice guideline for the diagnosis and treatment of 2019 novel coronavirus (2019-nCoV) infected pneumonia (standard version). Military Medical Research. 2020;7(1):4. https://doi.org/10.1186/s40779-020-0233-6


3. Wu D, Wu T, Liu Q, Yang Z. The SARS-CoV-2 outbreak: what we know. International Journal of Infectious Diseases. 2020. https://doi.org/10.1016/j.ijid.2020.03.004


4. Guan WJ, Ni ZY, Hu Y, Liang WH, Ou CQ, He JX, et al. China Medical Treatment Expert Group for Covid-19. Clinical Characteristics of Coronavirus Disease 2019 in China. New England Journal of Medicine. 2020. https://doi.org/10.1056/NEJMoa2002032


5. Lai CC, Shih TP, Ko WC, Tang HJ, Hsueh PR. Severe acute respiratory syndrome coronavirus 2 (SARS-CoV-2) and corona virus disease-2019 (COVID-19): the epidemic and the challenges. International Journal of Antimicrobial Agents. 2020;105924. https://doi.org/10.1016/j.ijantimicag.2020.105924


6. Ling Z, Xu X, Gan Q, Zhang L, Luo L, Tang X, et al. Asymptomatic SARS-CoV-2 infected patients with persistent negative CT findings. European Journal of Radiology. 2020;108956. https://doi.org/10.1016/j.ejrad.2020.108956


7. American Academy of Otolaryngology - Head and Neck Surgery (AAO-HNS). ANOSMIA, HYPOSMIA, AND DYSGEUSIA SYMPTOMS OF CORONAVIRUS DISEASE. Coronavirus Disease 2019: Resources. 2020. Disponível em: https://www.entnet.org/content/coronavirus-disease-2019-resources


8. Yang W, Cao Q, Qin L, Wang X, Cheng Z, Pan A, et al. Clinical characteristics and imaging manifestations of the 2019 novel coronavirus disease (COVID-19):A multi-center study in Wenzhou city, Zhejiang, China. J Infect. 2020:80;388-93. https://doi.org/10.1016/j.jinf.2020.02.016


9. Yuen KS, Ye ZW, Fung SY, Chan CP, Jin DY. SARS-CoV-2 and COVID-19: The most important research questions. Cell & Bioscience. 2020;10(1):1-5. https://doi.org/10.1186/s13578-020-00404-4


10. Meng L, Qiu H, Wan L, Ai Y, Xue Z, Guo Q, et al. Intubation and Ventilation amid the COVID-19 Outbreak: Wuhan's Experience. Anesthesiology. 2020. https://doi.org/10.1097/ALN.0000000000003296


11. Bouadma L, Lescure FX, Lucet JC, Yazdanpanah Y, Timsit JF. Severe SARS-CoV-2 infections: practical considerations and management strategy for intensivists. Intensive Care Medicine. 2020;1-4. https://doi.org/10.1007/s00134-020-05967-x


12. Xu YH, Dong JH, An W, Lv XY, Yin XP, Zhang JZ, et al. Clinical and computed tomographic imaging features of Novel Coronavirus Pneumonia caused by SARS-CoV-2. Journal of Infection. 2020. https://doi.org/10.1016/j.jinf.2020.02.017


13. Macht M, Wimbisht T, Clark BJ, Burnham EL, Williams SA, Moss M. Postextubations dysphagia is persistent and associated with poor outcomes in survivors of critical illness. Critical Care. 2011;15(5):231. https://doi.org/10.1186/cc10472


14. El Gharib AZG, Berretin-Felix G, Rossoni DF, Seiji Yamada S. Effectiveness of Therapy on Post-Extubation Dysphagia: Clinical and Electromyographic Findings. Clinical Medicine Insights: Ear, Nose and Throat. 2019;12:117955061987336. https://doi.org/10.1177/1179550619873364


15. Ghannouchi I, Marie JP, Duclos C, Verin E. Alteration of Swallowing and Ventilation Coordination in Respiratory Diseases in Small Mammals. Dysphagia. 2019;1-6. https://doi.org/10.1007/s00455-019-10024-x


16. Xu H, Zhong L, Deng J, Peng J, Dan H, Zeng X, et al. High expression of ACE2 receptor of 2019-nCoV on the epithelial cells of oral mucosa. International Journal of Oral Science. 2020;12(1):1-5. https://doi.org/10.1038/s41368-020-0074-x


17. Koh GC, Hoenig H. How Should the Rehabilitation Community Prepare for 2019-nCoV? Archives of Physical Medicine and Rehabilitation. 2020. https://doi.org/10.1016/j.apmr.2020.03.003

0 visualização

Sobre a BRASPEN/SBNPE


A BRASPEN/SBNPE é uma sociedade interdisciplinar de médicos, nutricionistas, farmacêuticos, enfermeiros atuantes na área de terapia nutricional.

Rua Abilio Soares, 233, Conjunto 144
São Paulo / SP - CEP 04005-000.


E-mail: contato@braspen.org


(11) 3889-9909 - (11) 94748-3609

Inscreva-se na BRASPEN


Receba nossos informativos mensais:

Redes Sociais:

face.png
IG.png

© Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral - Desenvolvimento: WDCOM

  • Preto Ícone Facebook